G-Vírus

Golgotha Virus

Nome: Golgotha Vírus / G-Vírus
Desenvolvedores: William e Annette Birkin
Ano de Descoberta: 1988
Composição Básica: Absorção do NE-Alpha por Lisa Trevor
Primeira Aparição: Resident Evil 2 (1998)


O Golgotha Vírus, popularmente conhecido como G-Vírus, é uma substância originada a partir da absorção do parasita NE-Alpha no corpo de Lisa Trevor que vinha sendo administrado pelo Vírus Progenitor Tipo-B. A substância foi posteriormente estudada e aprimorada por William Birkin.


Durante as pesquisas com o T-Vírus e o Progenitor no Complexo de Laboratórios de Arklay, os cientistas da Umbrella escolheram usar como cobaias Lisa e Jessica Trevor, filha e esposa, respectivamente, de George Trevor, arquiteto da Mansão Spencer que servia como fachada para o complexo. Jessica acaba morrendo dias depois de ser administrada pelo Progenitor Tipo-A, enquanto Lisa, que recebe o Progenitor Tipo-B, relaciona-se geneticamente com o vírus natural e passa a mostrar uma resistência que impressiona os pesquisadores.


Em pesquisas feitas na base da Umbrella na Europa, o parasita NE-Alpha vinha sendo um problema, uma vez que o agente biológico estava matando muitas cobaias durante experimentos ou realizando mutações fora do comum. Uma amostra do NE-Alpha é enviada para Arklay e os líderes Albert Wesker e William Birkin decidem usar o NE-Alpha em Lisa Trevor a fim de saber como seu organismo resistente reagiria as atividades do parasita e obter dados sobre o agente biológico.


Para a surpresa deles, o organismo de Lisa absorveu o parasita gerando uma nova substância, o G-Vírus. A arma viral foi isolada e estudada por William junto a sua esposa, Annette Birkin, e percebeu-se que a substância possuía capacidades de regeneração surpreendentes e que seria muito mais inovador do que o T-Vírus, uma vez que a infecção do Golgotha causava mutações a nível genético e preservava os órgãos de seus organismos, além de elevar significativamente a capacidade de reprodução.


Com todo esse potencial descoberto pelos Birkin, o interesse de Ozwell E. Spencer na arma viral fez com que o co-fundador da Umbrella ordenasse a construção do NEST, um complexo de laboratórios enorme abaixo de Raccoon City, onde a entrada principal ficava no Tratamento de Esgoto da cidade, esse último citado, com ligações diretas a Delegacia de Polícia de Raccoon e ao Orfanato. Tanto a delegacia quanto o Orfanato tinham como diretor o chefe de polícia Brian Irons. Isso resulta em um acordo entre a Umbrella e Irons para que o chefe de polícia impedisse a todo custo que alguém soubesse sobre as atividades ilegais da Umbrella no NEST. Mas também, Irons chega a enviar crianças do orfanato para servirem de cobaias no NEST em experimentos com o G-Vírus e também com o T-Vírus.


Observações importantes sobre o Golgotha Vírus são feitas por Annette após um confronto entre seu marido e soldados da Umbrella. Pois com a saída de Albert Wesker da Umbrella, William se sente inseguro com Spencer demonstrando um grande interesse pelo G-Vírus e também por ter presenciado o assassinato de James Marcus. Sabendo que após todos os estudos sobre a poderosa substância, ele seria desprezível e decide, então, realizar um acordo com o governo americano. Esse acordo visava na venda do G-Vírus por um preço bem acessível mais proteção do governo sob ele e sua família. Após a Umbrella descobrir esse acordo, soldados o confrontam para coletar as amostras do vírus, mas William acaba sendo baleado e se infecta com o G-Vírus transformando-se em uma criatura G.


William em forma de G acaba pisando em frascos contendo o T-Vírus nos esgotos de Raccoon City, o que ocasiona uma rápida epidemia e transforma Raccoon em um cenário apocalíptico. É durante esse tempo que Annette faz suas observações da força e potencial que G havia. Além disso, como observado antes, os infectados com o G-Vírus possuem uma impressionante capacidade de reprodução. Mas com o incidente, fica notório quando G planta embriões em diversos organismos. Mas para alguém se tornar em uma criatura G ideal como William se tornou, essa pessoa deveria ser compatível com o vírus. Caso contrário, o embrião que adentra em um organismo não compatível recusa o corpo matando-o de formas grotescas e esse embrião evolui transformando-se em G-Adult. É por isso que William vai atrás de sua própria filha, Sherry Birkin, com a intenção de transformá-la em uma nova criatura G uma vez que ela tinha compatibilidade com a substância.


CURAS E VACINAS


O Golgotha Vírus possui uma vacina nomeada como DEVIL ("Diabo", em inglês). Essa vacina foi feita por William Birkin junto a sua equipe de cientistas no NEST. Tem o nome de "Diabo" uma vez que impede a infecção do G-Vírus, esse G de Golgotha, nome vindo do espaço em que Jesus Cristo foi crucificado, nome divino pois William acreditava que o G-Vírus poderia tornar humanos em deuses.


A vacina é injetada por Claire Redfield em Sherry Birkin quando a menina é infectada por G. Isso resulta na criação de anticorpos G em seu organismo que lhe dá habilidades de cura.

Comentários